O Deus Shiva como o Senhor do Yoga

O Senhor Shiva é o primeiro iogue ou o primeiro Deus.

Antes de tudo, sabe-se que Shiva faz parte do Trimurti (sânscrito : त्रिमूर्ति trimurti , ou “três formas”), Triplo de divindade suprema em Hinduísmo, em que as funções cósmicas de criação, manutenção e destruição são personificadas como uma tríade de divindades, tipicamente: Brahma, o criador, Vishnu, o preservador, e Shiva, o destruidor.

No Yoga, o Senhor Shiva é considerado o Adi Yogi e o Adi Guru. Ele é o principal entre os iogues e o primeiro professor da ciência do Yoga. Ninguém sabe ao certo sua origem. Ele é descrito geralmente como: sentado em posição de lótus no monte Kailas, em profundo samadhi, indiferente aos eventos do universo. Seu corpo está coberto de cinzas sagradas.

Em seu cabelo está a lua crescente simbolizando visão e conhecimento místicos. A serpente enrolada em volta do pescoço simboliza a misteriosa energia kundalini, presente em todos nós. O rio Ganges em cascata da coroa de sua cabeça, simbolizando a purificação perpétua, que ele concede aos seus devotos.

Ele possui três olhos, é Trilochana como citam, pois possui o terceiro olho ou ” o olho da sabedoria” no centro da testa. Ele também é descrito como o “blue-throated” ou Neelakanta ou ainda Nilakanta (Neela – azul; Kanta – garganta) significa “garganta azul” – nesse sentido, diz-se que ele bebeu o veneno que surgiu durante a agitação mitológica do oceano pelos deuses e os Asuras, protegendo assim o mundo de seus efeitos nocivos.

Seu tridente representa os três gunas ou qualidades da natureza (tamas, rajas e sattva). Ele é Yogeshwara, o Senhor do Yoga, Maheshwara, o Grande Deus e Bhuteshwara, o Senhor dos cinco elementos dos quais o universo é criado.

Diz-se que Shiva primeiro transmitiu seu conhecimento para Parvati ou Shakti, sua esposa. Além disso, para o bem da humanidade, ele ensinou a ciência do Yoga aos antigos rishis que transmitiram esse conhecimento para o resto da humanidade. Todos os sistemas iogues e tântricos o consideram o primeiro guru. Esses ensinamentos chegaram até nós na forma de Agama Sastras.

Desses ensinamentos, vieram várias tradições que ainda existem. Uma delas é a Tradição Nava-Nath fundada por Matsyendranath, Gorakshnath e os outros sete Gurus da Tradição Nath, que ainda prevalecem principalmente no norte da Índia. Alguns consideram Gorakshnath como uma encarnação do Senhor Shiva. No sul, foi o Siddha Agastiar ou Agastya Muni, que disseminou esse conhecimento e criou uma linhagem de Siddhas que se especializou em Yoga, Tantra, Medicina, Astrologia e outras ciências. A tradição de 18 Siddhars é bem conhecida no sul da Índia.

Em seus ensinamentos, o Senhor Shiva não dá nenhuma explicação filosófica, mas dá instruções muito diretas sobre os métodos de libertação. Siva Sutras e Vighyana Bhairava Tantra são textos populares que contêm técnicas específicas para libertar a alma encarnada das limitações do corpo e da mente e experimentar sua verdadeira natureza abençoada. Estas técnicas foram refinadas ao longo dos séculos através de vários mestres, que aperfeiçoaram esta arte e depois ensinaram aos seus discípulos. Assim, uma tradição de discípulo-guru foi desenvolvida e a sabedoria do yoga foi passada através das eras.

O Senhor Shiva é considerado com forma e sem forma. O Shiva descrito “com forma” é adorado como uma divindade poderosa e todo um sistema de rituais se desenvolveu em torno dele. Ele é um dos deuses da Trindade, sendo os outros dois, Vishnu e Brahma, como citamos na abertura desse texto. Shiva como um Deus representa o aspecto destrutivo da realidade suprema. Por outro lado, o Shiva descrito como “sem forma” é adorado como o Shiva Linga e é considerado a realidade última em si. Mesmo que o conceito não possa receber uma forma, o formato oval de Shiva Linga é dito como a primeira forma tomada durante a criação.

Shiva Linga
Shiva Linga

 

Shiva é considerado a consciência suprema em que o jogo da criação acontece na forma de Shakti. Shiva e Shakti são inseparáveis, assim como a criação não pode ser separada do criador. Toda a criação é descrita como “Shiva Tandava” ou a dança de Shiva.

 

Thandava - Dança Cósmica de Shiva
Thandava – Dança Cósmica de Shiva

 

Na cultura yogue, Shiva não é conhecido como um Deus, mas como o “Adiyogi” ou o “primeiro iogue” – o Criador do Yoga. Foi ele quem primeiro colocou essa semente na mente humana. De acordo com o conhecimento iogue, mais de quinze mil anos atrás, Shiva atingiu sua plena iluminação e abandonou-se em uma intensa dança estática sobre o Himalaia. Quando seu êxtase permitiu-lhe algum movimento, ele dançou descontroladamente. Quando se tornou além do movimento, ele ficou totalmente imóvel.

 

Deus Shiva
As pessoas viram que ele estava experimentando algo que ninguém havia visto antes, algo que eles não conseguiam entender. O interesse se desenvolveu e as pessoas queriam saber o que era isso. Eles vieram, esperaram e saíram porque o homem estava alheio à sua presença. Ele estava em dança intensa ou absoluta quietude, completamente indiferente ao que acontecia ao seu redor. Logo todos saíram …exceto sete homens.

Essas sete pessoas insistiram que deviam aprender o que esse homem tinha nele, mas Shiva as ignorou. Eles imploraram e imploraram: “Por favor, queremos saber o que você sabe.” Shiva os dispensou e disse: “Vocês são tolos. Do jeito que é, você não vai saber nem daqui a um milhão de anos. Há uma quantidade enorme de preparação necessária para isso. Isso não é entretenimento. ”

Então eles começaram a se preparar. Dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, preparavam-se. Shiva apenas escolheu ignorá-los. Mas em um dia de lua cheia, depois de muitos anos de preparação, quando o solstício passou do solstício de verão para o solstício de inverno – que nesta tradição é conhecido como Dakshinayana – os Adiyogi observaram essas sete pessoas e viram que elas se tornavam brilhantes receptáculos de conhecer. Eles estavam absolutamente maduros para receber. Ele não podia mais ignorá-los. Eles agarraram sua atenção.

Ele os observou de perto pelos próximos dias e quando a próxima lua cheia se levantou, ele decidiu se tornar um guru. O Adiyogi transformou-se no “Adi Guru” ou no “primeiro guru”. O primeiro Guru nasceu naquele dia que é hoje conhecido como Guru Pournami. Nas margens de Kanti Sarovar, um lago que fica alguns quilômetros acima de Kedarnath, no Himalaia, Shiva virou para o sul para derramar sua graça sobre a raça humana, e a transmissão da Ciência Iogue para essas sete pessoas começou.

A ciência da yoga não é sobre uma aula de yoga que você faz para alongar o corpo ou prender a respiração – o que todo recém-nascido sabe. Esta é a ciência da compreensão da mecânica de todo o sistema humano. Depois de muitos anos, quando a transmissão foi concluída, produziu sete seres totalmente iluminados – os sete sábios célebres que hoje são conhecidos como os Saptarishis.

 

Saptarishis
Saptarishis

Shiva colocou diferentes aspectos do yoga em cada uma dessas sete pessoas, e esses aspectos se tornaram as sete formas básicas de yoga. Ainda hoje, o yoga mantém estas sete formas distintas.

……………………..

 

Artigo transcrito do Asana Journal – edição 173 maio de 2017 .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *