Pequeno glossário indiano

Criamos um pequeno glossário, onde o objetivo não é se aprofundar em aspectos da cultura hindu, mas sim dar aos nossos visitantes uma pequeno panorama dos termos encontrados em nosso site. Falaremos mais sobre cada um dos termos ou Deuses em outras publicações.

Ganesha – Semideus dos começos auspiciosos e removedor de obstáculos

Ganesha surgiu do suor de Parvati, que lhe deu o encargo de guardar o local  no qual ela queria ter privacidade enquanto se banhava. Quando Shiva, seu esposo, chegou, Ganesha não permitiu que ele entrasse, pois não o conhecia. Furioso, Shiva cortou a cabeça do belo rapaz. Quando Parvati soube disso e contou tudo a Shiva, ele ficou desnorteado, e então ordenou que seus soldados trouxessem a cabeça do primeiro ser vivo que encontrassem. Como o primeiro ser que encontraram foi um bebê elefante, eles trouxeram sua cabeça, que foi transplantada por Shiva no corpo de Ganesha.

Shiva – O destruidor do mal e patrono do yoga

Shiva é uma das três principais divindades hindus.  Originou-se da fronte de Brahma. Ele se encarrega da destruição e regeneração do Universo. Foi ele também quem originalmente ensinou o processo de yoga. Portanto, ele tem servido de modelo aos yoguis.

Nataraj –  O rei da dança, outro nome de Shiva

Como Nataraj, ele é considerado o criador da dança. Para destruir o mundo no final de cada ciclo cósmico, ele executa uma dança mortal chamada Tandava Nritya. Nessa representação ele está cercado por uma roda de fogo.

Krishna – O Deus Supremo

Tido por alguns como encarnação de Vishnu e por outros como o próprio Deus original, Krishna encarnou neste mundo há cinco mil anos. Ele é o protagonista da obra literária e espiritual mais importante da literatura sagrada da Índia, a Bhagavad-gita.

Radha – A Deusa-mãe

Radha é a consorte de Krishna. Juntos, eles formam a Verdade Absoluta. Dentro da concepção védica, Deus tem em si tanto o aspecto masculino quanto o feminino. Caso contrário, segundo a teologia hindu, como poderia haver masculino e feminino na criação?

Lakshmi – Semideusa da fortuna

Ela é a companheira constante de Vishnu em suas diversas encarnações. Simboliza a disponibilidade de recursos materiais, já que, pela lógica, para manter a ordem e prosperidade do mundo, Deus deve tê-la sempre a seu lado.

Elefante

É o símbolo da estabilidade e imutabilidade. Representa, dessa forma, o poder de reger. A paz e a prosperidade são os efeitos desse poder estabelecido. É também aquele que remove os obstáculos do caminho. O ioga costuma relacionar o elefante ao chakra básico, que corresponde ao elemento terra.

Om – Representação sonora de Deus

Om é a origem de todos os outros sons e a pulsação do próprio cosmos, um som que ressoa eternamente no Universo e é a origem do mundo.

Japa-mala – Rosário para entoação de mantras

É um conjunto de contas de madeira, pérolas ou rudraksha adequadamente presos com um cordão, que pode ser usado como rosário para contar o número de mantras entoados ou simplesmente usado no pescoço. Geralmente é formado por 108 contas, considerado pela numerologia védica como um número auspicioso, por ser um múltiplo de 9, que representa a espiritualidade, ou um múltiplo de 27, que são as principais constelações da astrologia védica.

Rudraksha – Sementes de meditação

Rudraksha significa “lágrima de Shiva”, “Rudra” é um dos nomes do Senhor Shiva, geralmente atribuído à sua forma mais antiga, e “Aksha” significa lágrima. Conta a lenda que o Senhor Shiva, ao ver o sofrimento da humanidade, se encheu de compaixão e chorou, e suas lágrimas, ao caírem na terra viraram as sementes de rudrakshas. Diz-se que quando as contas de rudraksha tocam o corpo, conferem benefícios intelectuais e emocionais.  As sementes de rudrakshas possuem também poderes terapêuticos e mágicos. Já foi comprovado sua influência nos batimentos cardíacos, ou seja, a mudança da pressão arterial. Há sementes que ficam de molho na água e essa água energizada é boa para ajudar a normalizar a pressão arterial, diabetes, problema gástricos e de pele.

Colar Nava-ratna – Colar astrológico das nove pedras

Segundo a astrologia védica, existem nove planetas que influenciam a nossa existência na Terra.  Para cada um dos planetas, há uma pedra que lhe corresponde e pode incrementar seus benefícios ou amenizar seus efeitos maléficos. A relação entre os planetas e as pedras é a seguinte: Sol (rubi), Lua (pérola), Marte (coral vermelho), Mercúrio (esmeralda), Júpiter (safira amarela), Vênus (diamante/cristal), Saturno (safira azul), Rahu (hessonita), Ketu (olho de gato).

Pinturas Rajasthani

É um estilo de pintura em miniatura que se desenvolveu principalmente nos estados do Rajastão, na Índia ocidental, entre os séculos XVI e XIX. Ele evoluiu a partir de ilustrações feitas em manuscritos indianos, embora a influência Mughal tenha se evidenciado em anos posteriores do seu desenvolvimento. As pinturas retratam uma série de temas, tais como: cenas das epopeias Ramayana e Mahabharata, a vida de Krishna, cenas da corte, elefantes, belas paisagens, posturas do Kama-sutra etc.

As cores são extraídas de fontes naturais, como minerais, plantas, conchas, pedras preciosas ou até mesmo prata e ouro. A preparação das cores desejadas é um processo demorado, que às vezes leva semanas.  Em alguns casos os traços são feitos com apenas um fio de pelo animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *