Quem é a Deusa Kali?

O amor entre a Mãe Divina e seus filhos humanos é um relacionamento único. Kali, a Mãe das Trevas é uma dessas divindades com quem os devotos têm um vínculo muito amoroso e íntimo, apesar de sua aparência assustadora. Nessa relação, o adorador se torna uma criança e Kali assume a forma da mãe sempre preocupada.

“Ó mãe, até um idiota se torna um poeta que medita sobre ti vestido com o espaço, três olhos, criadora dos três mundos, cuja cintura é bela com um cinto feito de um número de braços de homens mortos …”
(De um Karpuradistotra hino, traduzido do sânscrito por Sir John Woodroffe)

Original:

“O Mother, even a dullard becomes a poet who meditates upon thee raimented with space, three-eyed, creatrix of the three worlds, whose waist is beautiful with a girdle made of numbers of dead men’s arms…”(From a Karpuradistotra hymn, translated from Sanskrit by Sir John Woodroffe)

Quem é Kali?
Kali é a forma temerosa e feroz da deusa mãe. Ela assumiu a forma de uma poderosa deusa e tornou-se popular com a composição do Devi Mahatmya, um texto do quinto a sexto século dC. Aqui ela é descrita como tendo nascido da testa da Deusa Durga durante uma de suas batalhas contra as forças do mal. Como a lenda diz, na batalha, Kali estava tão envolvida na matança que ela se deixou levar e começou a destruir tudo à vista. Para detê-la, o senhor Shiva se jogou sob seus pés. Chocada com esta visão, Kali mostrou a língua em espanto e pôs fim a sua agitação homicida. Assim, a imagem comum de Kali mostra-a em seu estado de espírito calmo, em pé com um pé no peito de Shiva, com a enorme língua esticada para fora.

A temerosa simetria
Kali é representada com talvez as características mais ferozes entre todas as divindades do mundo. Ela tem quatro braços, com uma espada em uma mão e a cabeça de um demônio em outra. As outras duas mãos abençoam seus adoradores e dizem “não temais”! Ela tem duas cabeças mortas para seus brincos, uma série de crânios como um colar e um cinto feito de mãos humanas como sua roupa. Sua língua se projeta de sua boca, seus olhos estão vermelhos e seu rosto e seios estão sujos de sangue. Ela está com um pé na coxa e outro no peito do marido, Shiva.

Símbolos impressionantes
A forma feroz de Kali está repleta de símbolos impressionantes. Sua pele negra simboliza sua natureza abrangente e transcendental. Diz o Mahanirvana Tantra : “Assim como todas as cores desaparecem em preto, todos os nomes e formas desaparecem nela”. Sua nudez é primordial, fundamental e transparente como a natureza – a terra, o mar e o céu. Kali está livre da cobertura ilusória, pois ela está além de toda maya ou “falsa consciência”. A guirlanda de cinquenta cabeças humanas de Kali, que representa as cinquenta letras do alfabeto sânscrito, simboliza o conhecimento infinito.

Seu cinto de mãos humanas decepadas significa trabalho e liberação do ciclo do carma. Seus dentes brancos mostram sua pureza interior, e sua língua vermelha indica a sua natureza onívora – “seu prazer indiscriminado de todos os ‘sabores’ do mundo”. Sua espada é a destruidora da falsa consciência e as oito ligações que nos unem.

Seus três olhos representam passado, presente e futuro – os três modos de tempo – um atributo que se encontra no próprio nome Kali (‘Kala’ em sânscrito significa tempo ). O eminente tradutor de textos tântricos , Sir John Woodroffe em Garland of Letters , escreve: “Kali é assim chamada porque devora Kala (o tempo) e então retoma sua própria obscuridade sem forma”.

A proximidade de Kali aos locais de cremação onde os cinco elementos ou “Pancha Mahabhuta” se juntam e todos os apegos mundanos são absolvidos, mais uma vez apontam para o ciclo de nascimento e morte. O reclinado Shiva deitado prostrado sob os pés de Kali sugere que sem o poder de Kali (Shakti), Shiva é inerte.

Formas, Templos e Devotos
Os disfarces e nomes de Kali são diversos. Shyama, Adya Ma, Tara Ma e Dakshina Kalika, Chamundi são formas populares. Então há Bhadra Kali, que é gentil, Shyamashana Kali, que vive apenas no campo de cremação, e assim por diante. Os mais notáveis templos de Kali estão no leste da Índia – Dakshineshwar e Kalighat em Kolkata (Calcutá) e Kamakhya em Assam, uma sede de práticas tântricas. Ramakrishna Paramahamsa, Swami Vivekananda , Vamakhyapa e Ramprasad são alguns dos lendários devotos de Kali. Uma coisa era comum a esses santos – todos eles amavam a deusa tão intimamente quanto amavam sua própria mãe.

“Meu filho, você não precisa saber muito para agradar.

Apenas me ame muito.

Fale comigo, como você falaria com sua mãe

se ela tivesse tomado você em seus braços “.

 

Original:

“My child, you need not know much in order to please Me.

Only Love Me dearly.

Speak to me, as you would talk to your mother,

if she had taken you in her arms.”

 

………………….

Traduzido dos textos:

https://www.thoughtco.com/kali-the-dark-mother-1770364

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *